domingo, 23 de dezembro de 2012

Energéticos...Mascaram a Fadiga

> Vício
> Isotônicas
> Desidratação
> Comercialização
> Inofensivos?

"Seja para garantir horas extras de estudo durante a madrugada ou para curtir com disposição uma festa badalada, as bebidas energéticas estão conquistando a população, sobretudo das faixas etárias mais jovens. Grande parte dos usuários, no entanto, não faz a menor idéia do que está ingerindo e dos riscos que o produto pode trazer. Popularmente conhecidas como energéticas, as bebidas que excitam o sistema nervoso são, na verdade, estimulantes. A diferença está no fato de que a bebida energética tem um teor elevado de carboidratos, que ajuda na recuperação da energia após treinos, competições ou durante os intervalos de atividades físicas prolongadas. No mercado brasileiro, há produtos energéticos como o Sport Energy e o Carb-up. Já as bebidas estimulantes, à venda em bares e casas noturnas, são produtos que têm, além dos carboidratos que fornecem energia para o organismo, substâncias excitantes para o sistema nervoso, como a cafeína. Depois da ingestão de uma bebida estimulante, o usuário tem a sensação de que está mais disposto. No Brasil, há marcas conhecidas como o Red Bull e o Flying Horse."

Vício

As bebidas estimulantes conseguem mascarar a fadiga do indivíduo, o que nem sempre é um fator conveniente. "A pessoa que consome este tipo de produto pode não detectar a tempo uma possível lesão muscular ou articular por overdose de treino", alerta a nutricionista Carmen Zita Pinto Coelho. A nutricionista afirma que a bebida também pode viciar. Os usuários freqüentes podem ter o desempenho reduzido quando não consumirem antes a cafeína. Carmen Zita explica que se a pessoa não abre mão de usar a bebida estimulante, o melhor é escolher uma competição prolongada e importante para ingeri-la - no início e nos intervalos -, evitando que seu consumo se torne um hábito em todas as competições e ocasiões.

Isotônicas

Outro tipo de bebida que também conquistou o mercado são as isotônicas, como Gatorade, SportDrink e Energyl C. As isotônicas provocam a hidratação, possibilitando também a reposição de carboidratos em concentrações consideradas pequenas - de 6% a 8% - e de eletrólitos, que são substâncias que se perdem no suor. "A bebida isotônica deve ser consumida com regularidade a partir de uma hora após o início da atividade física. Antes deste período, o ideal é priorizar a ingestão de água", explica a nutricionista. As bebidas isotônicas também são usadas em festas para a reidratação e a reposição de pequenas quantidades de glicose e eletrólitos.

A verdadeira bebida energética, rica em carboidratos, não deve ser consumida por pessoas diabéticas. Para os demais indivíduos, que querem recuperar a energia rapidamente após a atividade física, o consumo não traz problema. No entanto, o usuário deve ficar atento à quantidade de calorias ingeridas, que precisa estar de acordo com a dieta diária recomendada. "Já as bebidas estimulantes são contra-indicadas para pacientes com hipertensão e cardiopatias, pessoas nervosas ou com problemas psiquiátricos, além de diabéticos e indivíduos com insônia", recomenda Carmen Zita.

Desidratação

Um dos riscos de consumir a bebida estimulante e o álcool é a desidratação. Tanto o álcool quanto a cafeína são produtos potencialmente diuréticos. Por isso, a orientação é para que o usuário alterne a ingestão do estimulante com grandes quantidades de água.

A cafeína não é a única fonte de preocupações dos especialistas da área de saúde. Algumas bebidas também contêm a droga efedrina, que é um estimulante, normalmente encontrado em descongestionantes nasais. Segundo alguns médicos, a cafeína misturada com a efedrina pode causar sérios problemas cardíacos. O aminoácido natural taurina é outro componente de algumas bebidas deste tipo. Em alguns alimentos, este aminoácido é encontrado em pequenas quantidades. Nas bebidas estimulantes, no entanto, sua concentração é semelhante à encontrada em 500 taças de vinho. Em grandes quantidades, acredita-se que o taurina potencialize o efeito dos demais estimulantes presentes na bebida. Seus efeitos em longo prazo ainda não foram estudados.

Comercialização

Se consumida por muito tempo e com freqüência, a bebida estimulante pode causar alterações no sistema nervoso. Por seus efeitos no organismo e seu teor de cafeína, as bebidas energéticas são produtos que têm a venda acompanhada com cuidado em outros países. No Canadá, França e Dinamarca, diversas bebidas estimulantes não foram aprovadas. O produto austríaco Red Bull, responsável por metade do mercado norte-americano e um sucesso de vendas no Brasil, foi um deles.

Apesar das restrições em alguns países, as bebidas estimulantes têm conseguido o registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável pelo controle do produto no Brasil. Segundo a Anvisa, 31 marcas têm autorização para serem comercializadas no País. Red Bull, Ninja, Blue Energy Xtreme, Red Dragon, Ecstasy, Liquid Energy, Sky Horse Energy Drink, Repique, Dynamite, First One Atomic Energy Drink, Strength Bulls-Energy Drink, Flyng Horse-Booster e On line são algumas das bebidas estimulantes regularizadas.

Carmen Zita não recomenda o consumo das bebidas estimulantes. Segundo ela, o produto pode ser usado, mas em casos esporádicos. "Se alguém precisa estar em uma festa e está desanimado, uma dose não faria mal, mas isto não pode se tornar um hábito. Vale lembrar que o produto não deve ser consumido por pessoas com hipertensão e diabetes, por exemplo", alerta.

Inofensivos?

Apesar da preocupação dos especialistas, os fabricantes das bebidas estimulantes afirmam que estes produtos são inofensivos. A única orientação das indústrias é que os usuários se mantenham hidratados, já que a cafeína e o álcool são diuréticos, ou seja, provocam a perda de líquidos no corpo. Em todo o mundo, há três casos de morte - possivelmente ligados a este tipo de bebida - sendo investigados. Um deles, de uma jovem, por desidratação, que consumiu a bebida estimulante e álcool.(Fonte:Comego)

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer...Frases

Vida e arquitetura

“A vida pode mudar a arquitetura. No dia em que o mundo for mais justo, ela será mais simples.”

“A vida é um sopro. Por isso, não há motivo para tanto ódio.”

“A arquitetura não muda nada. Está sempre do lado dos mais ricos. O importante é acreditar que a vida pode ser melhor.”

“A vida é importante; a arquitetura não é. Até é bom saber das coisas da cultura, da pintura, da arte. Mas não é essencial. Essencial é o bom comportamento do homem diante da vida.”

“A luta por uma sociedade mais justa não pode se perder no tempo.”

A solução

“Enquanto existir miséria e opressão, ser comunista é a solução.”

“Lógico que ainda acredito no comunismo. Não sou cretino. É uma idéia que está no coração de todo mundo.”

“A arquitetura não é importante. O importante é a solidariedade humana.”

“Acho muito bom a pessoa se recolher e ficar pensando em si mesma, conversando com esse ser que tem dentro dela, que é nosso sósia, né? Eu converso com ele a vida inteira.”

“Cem anos é uma bobagem. Depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela.”

“Desejo ver um mundo melhor, mais fraternal, em que as pessoas não queiram descobrir os defeitos das outras, mas, sim, que tenham prazer de ajudar o outro.”

“Enfim, pude conviver com verdadeiros patriotas. Brizola, preocupado com a formação das crianças, levou adiante o projeto de Darcy de construir os CIEPs. Do ponto de vista da arquitetura, os CIEPs não tinham importância. Do ponto de vista social, tinham. Hoje estão por aí, abandonados. Estamos otimistas, o mundo está mudando, o império velho de Bush está desmoralizado. Acho que o mundo está melhorando. O capitalismo está desmoralizado.”

“Lembro-me da noite em que Fidel esteve em meu escritório. Convidei amigos e, à meia-noite, quando ele ia embora, o elevador enguiçou. Para pegar o outro, ele teve de passar pelo apartamento de um vizinho, que até hoje conta essa ocorrência com certo orgulho. Dá para imaginar o susto do casal ao abrir a porta e dar de cara com o Fidel? O único comunista que mora nesse prédio sou eu. Mas, quando Fidel saiu, o edifício todo estava iluminado e o pessoal batendo palmas. Dizem que é preciso a noite para surgir o dia, e foi isso que aconteceu com Cuba.”

“Mais importante do que a arquitetura é estar ligado ao mundo. É ter solidariedade com os mais fracos, revoltar-se contra a injustiça, indignar-se contra a miséria. O resto é o inesperado; é ser levado pela vida.”

“No dia em que o mundo for mais justo, a vida será mais simples.”

“Nossa passagem pela vida é rápida. Cada um vem, conta sua história, vai embora e depois ela será apagada para sempre. A vida continua.”

“Nunca acreditei na vida eterna. Sempre vi a pessoa humana frágil e desprotegida nesse caminho inevitável para a morte… Às vezes, muito jovem, o espiritismo me atraía, logo dissolvido pelo materialismo dialético, irrecusável. Se via uma pessoa morta, meu pensamento era radical. Desaparecera, como disse Lacan, antes de morrer. Um corpo frio a se decompor, e nada mais.”

“Não é o ângulo reto que me atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, nas nuvens do céu, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o Universo – o Universo curvo de Einstein.”

“O mais importante não é a Arquitetura, mas a vida, os amigos e este mundo injusto que devemos modificar.”

“O que nós queremos na arquitetura com a mudança na sociedade não é nada especial: as casas de luxo vão ser menores. Os grandes empreendimentos urbanos… vão ser maiores ainda porque todos deles vão participar.”

“O ruim de Brasília é que quando a gente chega lá percebe que a cidade está inacabada.”

Amazônia

“Patriota é quem defende o patrimônio nacional. É lutar pela Amazônia. Os americanos estão voando sobre nossas riquezas porque a Amazônia faz parte do plano deles. Até os militares no Brasil estão contra isso.”

“Quando faço palestras para estudantes,digo que a arquitetura não é importante,o importante é a vida.”

“Urbanismo e arquitetura não acrescentam nada. Na rua, protestando, é que a gente transforma o país.”

Comunismo
“Nunca me calei. Nunca escondi minha posição de comunista. Os mais compreensíveis que me convocam como arquiteto sabem da minha posição ideológica. Pensam que sou um equivocado e eu penso a mesma coisa deles. Não permito que ideologia nenhuma interfira em minhas amizades. A humanidade precisa de sonhos para suportar a miséria; nem que seja por um instante.”

“A direita quer manter este clima de poder, de injustiça social e de subserviência ao império norte-americano.”

“Acontece que as mentiras que contam sobre Stalin são invencione da burguesia.”

Fantasia

“A gente precisa sentir que a vida é importante, que é preciso haver fantasia para poder viver um pouco melhor.”

Capitalismo

“O Bush, no fundo, é um idiota que tem as armas na mão, e delas se serve para levar o terror às áreas mais desprotegidas. Representa o capitalismo, que, decadente, tudo faz para subsistir.”

Revolução

“Quando a vida se degrada e a esperança sai do coração dos homens, só a revolução.”

A mudança e a miséria

“A miséria existe. E a burguesia brasileira, que é das mais atrasadas, está sentindo isso na pele pela primeira vez. A chance de mudança está aí, nesta situação-limite. E há o inesperado, com o qual devemos contar. Um dia, lá em Paris, Sartre me disse que gostava de ter dinheiro no bolso para dar esmola. O sujeito chegava, Sartre dava um dinheirinho e quase agradecia por isso. Mudei minha opinião sobre a esmola. Como dizia o padre Teillard Chardin, quando ser for melhor que ter, estará tudo resolvido no mundo.”(Fonte:A Verdade)

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

O Grande Nevoeiro...Londres 1952

Londres é conhecida, entre inúmeras outras coisas, por seus dias nublados. Apesar dos londrinos normalmente dizerem que a cidade não é tão nebulosa assim, o verão de 2012 viu uma quantidade recorde de nevoeiro com fumaça na capital da Inglaterra.

Devido ao “histórico” da cidade, esse fato pode ser preocupante. Estamos falando da década de 50, na qual estima-se que milhares de mortes ocorreram durante cinco dias em que uma fumaça tomou toda Londres, evento que ficou conhecido como “O Grande Nevoeiro”.

Em 1952, fumaça era parte de viver na cidade. Com o frio, queima de carvão era um tanto quanto comum. Além disso, a indústria estava a todo vapor e os carros eram cada vez mais comuns.

O que ninguém esperava era que o crescimento incontrolado da queima de combustíveis fósseis na indústria e nos transportes estivesse prestes a cobrar seu preço.

Na noite de 5 de dezembro de 1952, um anticiclone estava se formando acima de Londres. Anticiclone é uma área de alta pressão que impede que ar de fora flua para dentro. Isso permitiu que uma “tampa de ar quente” se mantivesse sobre Londres, sem deixar nenhum outro ar entrar.

Quando o ar está frio, as fumaças de chaminé quentes sobem rapidamente até que se esfriam e se dispersam na atmosfera superior. Já uma atmosfera de ar quente impede que essa fumaça suba e se esfrie.

O que aconteceu em Londres, então, foi resultado do acaso e do descaso: enquanto o anticiclone impedia novo ar de entrar, o ar quente no chão [da poluição] impedia a fumaça de sair.

Resultado? Ficou tudo “preso” em uma cidade que ainda estava queimando mais combustível.

No próprio 5 de dezembro, a visibilidade já caiu a poucos metros. A 7 de dezembro, a visibilidade chegou a apenas 30 centímetros. O dióxido de enxofre e outros poluentes se misturavam com partículas de água para formar ácido sulfúrico e clorídrico, que queimavam os olhos e os pulmões das pessoas. A fumaça tornou impossível para as pessoas andar de carro, e os veículos foram simplesmente abandonados nas estradas.

A 6 de dezembro, 500 pessoas já haviam morrido, e as ambulâncias pararam de circular. Havia muitos carros abandonados na estrada, e a visibilidade era tão ruim que a equipe de resgate tinha que andar na frente de seus veículos para chegar a qualquer lugar. Milhares de pessoas caminhavam até os hospitais, chegando ofegantes, com lábios azuis devido à asfixia.

Além desses inúmeros perigos ambientais, havia os humanos também. Como as forças policiais ficaram praticamente paralisadas, e as pessoas andando na rua não podiam ver mais do que um palmo na sua frente, ladrões atacaram e roubaram pessoas, ou invadiram casas com impunidade.

A 9 de dezembro, quando 900 pessoas já haviam morrido, um vento de repente passou pela cidade, finalmente dissipando o nevoeiro.

O governo, que havia ignorado os protestos ambientais em 1920 e apoiado indústrias que soltavam pilhas de fumaça com dióxido de enxofre na atmosfera, demorou a assumir qualquer culpa.

Quando ficou óbvio que alguém teria que ser responsabilizado pelo que aconteceu, eles estabelecem diretrizes rigorosas quanto ao que poderia ser considerado uma fatalidade relacionada ao nevoeiro.

Por conta disso, a lista de mortes oficial contém cerca de 4.000 pessoas. Certamente, essa lista ignora muitas mortes, por exemplo, de doentes que viveriam se tivessem sido capazes de respirar, de pessoas cujos pulmões foram destruídos e que ainda estavam morrendo por asfixia em hospitais depois que a fumaça havia dissipado, etc.

Ainda assim, o evento absurdo serviu para alguma coisa: ao longo dos próximos anos, o governo criou uma regulamentação ambiental justamente para evitar qualquer fenômeno parecido.

Para o ser humano, muitas vezes é difícil perceber que jogar um lixo no chão pode voltar para lhe assombrar depois. O Grande Nevoeiro de Londres é a prova disso.

> Poluição do ar causa problemas de coração e cérebro

Se poluição mata? É claro que sim. Estima-se que 12.000 pessoas morreram devido diretamente à poluição atmosférica. Muitos mais (talvez cerca de 100.000) ficaram doentes e morreram mais tarde provavelmente devido aos quatro dias de gás venenoso que enfrentaram.

> Poluição atmosférica pode aumentar casos de diabetes.
> E aí, que tal sair a pé ou de bicicleta hoje?(Fonte:hypescience)

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Acidentes na Água...Prevenção

Afogamento

É difícil estimar com certeza o número exato de afogamentos, já que muitos não são informados. Acredita-se que o afogamento seja a segunda causa de morte acidental, a primeira seria o acidente de trânsito. Ocorre predominantemente com indivíduos jovens, de forma que 64% das vítimas têm menos de 30 anos de idade e 26% estão abaixo dos cinco anos. O sexo masculino é acometido mais que o feminino. Já a incidência de quase-afogamento é 500 a 600 vezes maior que a de afogamento. Esses acidentes ocorrem principalmente em áreas nas quais é importante a prática de atividades recreativas na água, mas até a piscina doméstica e a banheira podem ser palcos de eventos letais.

O afogamento é a asfixia que ocorre devido à aspiração de líquido que venha inundar o aparelho respiratório (pulmões), levando à morte. Há interrupção da oxigenação do sangue e da eliminação de gás carbônico, que se acumula no organismo. O quase-afogamento representa a situação na qual a pessoa sobrevive ou é ressuscitada pelo resgate. Em alguns casos, o indivíduo não morre afogado, mas a morte ocorre devido a problemas respiratórios devidos à aspiração de líquido ou a infecções adquiridas, é o chamado "afogamento secundário" ou "tardio".

A pessoa apresenta queda da temperatura do corpo, distensão da barriga, tremores, dores musculares, náuseas e vômitos. É claro que esses sintomas referem-se ao quase-afogamento, já que a pessoa não morreu. O indivíduo pode apresentar-se em parada cardíaca.

Um fator a ser destacado é que o consumo de álcool está bastante associado à ocorrência de acidentes de submersão (afogamento, quase-afogamento). Portanto, o abuso dessa substância pode predispor a esses acidentes.

O mais importante é a prevenção. Recomendam-se as seguintes medidas:


> Bebês: nunca devem ser deixados sozinhos no banho, nem por poucos segundos enquanto a mãe se vira para pegar uma toalha.

> Crianças: além do exposto acima, os pais devem estimulá-las a assumir responsabilidade por sua própria segurança. Elas devem aprender a nadar e a boiar e a identificar situações perigosas. Os pais devem estar sempre próximos, quando elas estiverem na água.

> Adultos: devem estar atentos a suas limitações, especialmente quando suas capacidades estiverem comprometidas pelo uso de drogas (medicamentos, bebidas). Evite nadar sozinho em áreas não supervisionadas ou onde não se conheça as condições locais. Quando pego por uma corrente, nadar em diagonal, e não contra a corrente e, pedir por socorro.

Nos últimos anos houve uma redução do número de mortes por afogamento, no Brasil, o que pode dever-se a uma melhoria dos serviços de salvamento aquático, com maiores investimentos em prevenção. Embora essa função seja de um profissional, o salva-vidas, qualquer pessoa pode ter que tomar uma atitude frente a uma emergência dessas. Entretanto, as pessoas não treinadas podem se expor também a um risco de morte. Algumas dicas são importantes, para que uma pessoa preste um atendimento inicial até a chegada da equipe de salvamento ou resgate:

> Ao identificar um caso de afogamento, não tente nada heróico, chame por socorro;

> Se não houver tempo para aguardar o socorro, procure por alguém próximo que tenha experiência com a água, por exemplo, um surfista;

> A prioridade do resgate não é retirar a pessoa da água e sim fornecer a ela um material de apoio, podendo ser qualquer material que flutue, ou então transportá-la até um local onde ela possa ficar de pé;

> Quando estiver próximo à vítima, tente conversar com ela e peça que ela vire-se de costas para você. Tente também acalmá-la;

> Após fornecer um material de apoio, aproxime-se da vítima. Evite que a vítima o agarre. Essa situação é grave, pois o socorrista e a vítima podem acabar se afogando;

> Transportar a vítima até um local seguro, fora da água. Iniciar a aplicação dos primeiros socorros, como a respiração boca-a-boca, compressões torácicas, etc. De preferência, procure-se informar sobre como realizar essas manobras.

Acidentes por mergulho

No Brasil, existe uma grande quantidade de praias, rios e cachoeiras que garantem a diversão de muitas pessoas. Porém, podem estar relacionados a um grave risco que poucos conhecem: o modo como as pessoas entram na água. Desde crianças, aprende-se a entrar na água mergulhando, o que é facilmente apreensível. O problema reside em saber-se a profundidade do local onde se vai mergulhar. Aproximadamente 90% dos indivíduos que sofrem acidentes ao mergulhar são do sexo masculino, sendo que muitos se tornam tetraplégicos (ou seja, perdem os movimentos dos braços e das pernas). Assim, percebemos a importância desse tema.

Quando uma pessoa mergulha em uma piscina, lagoa ou rio, seu objetivo é entrar na água e sair logo adiante. No entanto, a condição principal para que isso dê certo é que a profundidade do local seja adequada. Quando se trata de uma piscina, é fácil determinar a profundidade, o que não é tão simples quando se trata de uma cachoeira, um rio. Nesses locais, há uma mudança constante do nível da água e do leito.

Se a profundidade não é suficiente para o mergulho, a pessoa pode bater a cabeça no fundo, contra algum obstáculo. A força desse impacto é transmitida ao pescoço que, sendo flexível, predispõe à ocorrência de fratura de vértebras (ossos da coluna espinhal), nesse local. Além disso, o corpo da pessoa continua afundando e seu peso pode agravar a fratura do pescoço, levando provavelmente a lesão da medula espinhal (que carrega os nervos para os braços e pernas). Caso isso ocorra, a pessoa pode perder os movimentos dos membros e, como o pescoço está acima dos braços, ela perde o movimento de todos os membros (ficando tetraplégica).

Por isso, é extremamente importante que sigamos algumas recomendações:

> Cuidado com os mergulhos de ponta, pois nesses casos o corpo afunda rapidamente. Os braços esticados não impedem que você bata com a cabeça.
> Os saltos de pontes, árvores e barrancos estão associados a um risco maior desse tipo de acidente, porque quanto maior for a altura do salto, maior é a força com que seu corpo vai se chocar contra algum obstáculo embaixo d’água.
> Verifique sempre a profundidade do local onde será feito o mergulho. Não confie no local, mesmo que você já o tenha freqüentado várias vezes. Lembre-se que o nível da água muda sempre, bem como o fundo.(Fonte:Comego)

domingo, 28 de outubro de 2012

Sedentarismo...Causas e Consequências

O sedentarismo é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física. Na realidade, o conceito não é associado necessariamente à falta de uma atividade esportiva, pois do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais.

A atividade física é tudo aquilo que envolve contração muscular de qualquer tipo, que pode ou não levar ao movimento, independente da finalidade. Podemos dizer que qualquer movimento executado pelo nosso corpo é considerado uma atividade física. E quando falamos de atividade física, as vezes nos vem logo o pensamento de exercícios, como caminhada, natação, musculação entre varias outras, mas a separação entre exercício intencional e organizado e atividade física é complicada. Ao andar pela rua até a caixa do correio estamos sendo ativos, mas simplesmente por estarmos realizando esta ação para executar uma tarefa, ao invés de fazê-la para a aptidão física.

O ser humano foi preparado para um tipo de vida extremamente ativa do ponto de vista físico e a vida moderna mudou radicalmente esta perspectiva. Na Pré-história o homem tinha dois objetivos para manter sua sobrevivência, o primeiro era o da caça para se alimentar, e o segundo da fuga para não ser alimento de outros animais. Para realizar estas tarefas seu organismo foi gerando adaptações, conseguindo músculos e ossos mais resistentes, um sistema cardíaco e imunológico mais adaptado para sua sobrevivência. O tempo foi passando e a tecnologia chegou.

Atualmente nos deparamos com as pessoas horas e horas sentada em frente um computador, ou deitadas na frente da televisão com vários controles remotos e uma mesa cheia de fast-food. Com essa inatividade o organismo que antes era acostumado a estar sempre ativo, foi enfraquecendo, porque ele não precisava mais de seus músculos para correr, de seu coração para bombear grandes quantidades de sangue, de suas articulações para amortecer grandes impactos.

Esse fato trouxe importantes implicações sobre o padrão de doenças e também na associação entre hábitos de vida e saúde. A verificação destes fatos e as identificações dos seus infinitos fatores negativos, trouxeram uma volta da atividade física nos últimos 30 anos, na forma de exercícios organizados, como caminhadas, ciclismo, etc. Isso demonstra uma clara tendência à volta do Homem ao comportamento de seus antepassados. A prática de exercícios, na verdade, foi introduzida pela civilização grega com o nome de ginástica e se caracterizavam por exercícios disciplinados e tinham a finalidade de desenvolver a destreza, a beleza e a força.

A saúde está diretamente relacionada à atividade física. As pessoas com hábitos sedentários possuem menor aptidão física, isto é, menor capacidade para executar exercícios físicos. Por outro lado, as características de estrutura muscular e de nossas articulações do nosso corpo, da constituição do corpo ou da capacidade cardiorrespiratória, determinam também os limites de nossa aptidão física.
 A vida sedentária, literalmente, causa o desuso dos sistemas funcionais. Dessa forma, o aparelho locomotor e os demais órgãos e sistemas solicitados durante as diferentes formas de atividade física entram em um processo de regressão funcional, caracterizando, no caso dos músculos esqueléticos, um fenômeno associado à atrofia das fibras musculares, à perda da flexibilidade articular, além de haver um comprometimento das funções de vários órgãos.
Em várias situações a atividade física produz uma melhora na capacidade da pessoa, sendo muito útil em determinadas moléstias, como por exemplo, no efisema pulmonar e no diabetes, o controle da pressão alta fica mais fácil quando há a realização de exercícios regulares. Além disso, têm importância vital nas doenças coronárias, principalmente no que se diz respeito à profilaxia do infarto do miocárdio, pois os exercícios regulares fortalecem o músculo cardíaco e melhoram a circulação coronária. Foi observado que as pessoas que fazem regularmente os exercícios tem as chances de ter diabetes, desenvolvida com o passar dos anos, diminuídas. Além do processo de osteoporose ter sua velocidade reduzida. Em compensação a falta de atividades físicas podem causar o aumento de várias doenças, como por exemplo, hipertensão arterial, obesidade, ansiedade e aumento do colesterol. Por isso que o sedentarismo é considerado o principal fator de risco de morte súbita.
Na vida moderna, estamos sempre enfrentando situações de stress. Por um lado, o stress é uma parte essencial de nossa vida, proporcionado pelos fatores sociológicos e até econômicos. Por outro lado, o stress pode resultar em vários problemas médicos, é necessario adotemos uma atitude de prevenção mental e física, para aumentar sua resistência ao stress e evitar que se desenvolva uma depressão. Os exercícios regulares atuam de maneira eficaz sobre a tensão emocional, a angústia e a depressão. Após os exercícios há sensação de bem estar e até de euforia, produzindo aumento na auto-estima.

O processo de envelhecimento que se inicia quando a percepção referente ao corpo como um todo apresenta falhas e dificuldades não percebidas antes e que são inerentes à idade e ou condições físicas e psíquicas. As mudanças normais associadas à idade, que são visíveis ao homem são: perda da força e do vigor físico, visão curta, problemas de memória de curto prazo, queda de cabelo, perda de massa óssea, diminuição da altura, audição, menopausa e andropausa.
De acordo com estimativas da OMS, o Brasil deverá ter a sexta população mais idosa do planeta até o ano de 2025, com 34 milhões de pessoas com mais de 60 anos, o que representará 14% da nossa população.

Para envelhecermos sem desenvolver doenças associadas a esse processo, temos que desde de cedo nos preocuparmos com os seguintes itens:

> Hábitos alimentares: fazer refeições saudáveis com o auxilio de um nutricionista;

> Espiritualidade/solidariedade: buscar a fé independente de religião e ser solidário;

> Objetivos e metas de vida (buscar um significado para a sua vida): faça planos e tenha sonhos atingíveis;

> Exercícios físicos: procure atividades que lhe dêem prazer, e que sejam de fácil acesso, procure orientação com um profissional de educação física e dê inicio a um programa de atividades físicas numa intensidade moderada e sistemática.

A boa saúde em qualquer idade é muito importante, além de ser um dever nosso cuidar do nosso corpo para que ele se mantenha o mais saudável possível, mesmo que seja difícil diante do mundo tão turbulento, temos que tirar um tempo por menos que seja para nos dedicarmos a cuidar de nós mesmos.


Como deixar de ser sedentário

O consenso científico atual afirma que a atividade física melhora as condições de saúde dos indivíduos uma vez que diminui as doenças, aumenta a expectativa de vida, melhora o bem-estar, eleva a auto-estima, etc....

A vida nos grandes centros urbanos com a sua automatização progressiva, além de induzir o indivíduo a gastar menos energia, geralmente impõe grandes dificuldades para ele encontrar tempo e locais disponíveis para a prática das atividades físicas espontâneas. A própria falta de segurança urbana acaba sendo um obstáculo para quem pretende fazer atividades físicas. Aumentar o gasto calórico semanal pode se tornar possível, simplesmente reagindo aos confortos da vida moderna. Subir 2 ou 3 andares de escada ao chegar em casa ou no trabalho, dispensar o interfone e o controle remoto, estacionar o automóvel intencionalmente num local mais distante, dispensar a escada rolante no shopping-center, são algumas alternativas que podem compor uma mudança de hábitos.(Fonte:PDF)

domingo, 14 de outubro de 2012

Escovação Dentária...




Video > Estrelado por turma dos Peanuts, Charlie Brown, Linus, Snoopy, Lucy, feito em 1978 pela Associação Dental América.

A escovação dentária é a maneira mais efetiva de remoção de placa bacteriana e dessa maneira é a melhor conduta para a prevenção de problemas odontológicos.

Para que a escovação seja a mais eficiente possível siga as seguintes orientações :

    >Proceda à escovação dentária sempre após as refeições.
    >Utilize escova de cerdas macias e de cabeça compacta.
    >Utilize uma pequena quantidade , mais ou menos 1 cm , de pasta dental contendo flúor.
    >Coloque a escova junto a união da gengiva com os dentes de maneira que as cerdas formem um ângulo de 45° em relação aos dentes. Movimente (gire) a escova em direção à superfície mastigatória dos dentes.
    >Escove todas as superfícies dos dentes, a superfície interna (lingual) a externa (vestibular) e superfície mastigatória (oclusal).
    >Lembre-se que uma escovação correta demora aproximadamente 3 minutos.

A prática de escovar os dentes para prevenir enfermidades dentárias e periodontais é bastante antiga e seu início não tem registro histórico preciso.

Nas primeiras décadas do século 20, e sobretudo a partir dos anos 30 com a popularização do plástico, a produção, distribuição, estocagem e comercialização das escovas dentais se difundiu por todo o ocidente.
A facilidade com que escovas dentais passaram a ser encontradas no mercado criou as condições para a expansão da prática de escovar os dentes.
No Brasil são comercializadas, anualmente, dezenas de milhões de unidades, de diferentes características.

Não obstante, milhões de brasileiros não dispõem com regularidade desse instrumento básico de higiene corporal.
Outros tantos não o utilizam adequadamente.
Assim, justifica-se plenamente que, no contexto dos programas públicos de saúde bucal, escovas dentais sejam distribuídas aos que delas necessitam, e que se realizem as ações educativas pertinentes.
Escovas dentais são utilizadas como recurso estratégico para remover ou pelo menos desorganizar o biofilme dental, também conhecido como placa bacteriana.

Além desse objetivo primário, a escovação é igualmente estratégica para fazer com que o flúor esteja disponível na cavidade bucal, por meio do dentifrício.
Alguns cariologistas argumentam que do ponto de vista restrito da prevenção da cárie, disponibilizar flúor diariamente na cavidade bucal é tão ou mais importante quanto desorganizar o biofilme.
Ademais, pesquisadores admitem que a escovação dental diária, realizada adequadamente, é efetiva na prevenção de gengivites.
Tais propriedades da escovação dental fizeram com que seu uso se disseminasse amplamente, a ponto de está prática ser recomendada por autoridades sanitárias de vários países.(Fonte:PDF)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Os Impostos, a Inflação...Redução do Salário

Uma importante maneira de os capitalistas rebaixar o salário do trabalhador são os impostos, sejam diretos (imposto de renda, CPMF etc.), descontados no salário, ou indiretos, os que o trabalhador paga ao consumir qualquer produto (IPI, ICMS etc.). Na verdade, quase um terço do salário de uma família operária é gasto com os diversos impostos cobrados pelo governo dos capitalistas.

Aliás, os impostos indiretos pagos pelo povo são uma maneira que os capitalistas têm de transferir para a população os pagamentos que eles deveriam fazer ao Estado. Fazem isso incluindo nos preços dos produtos o valor dos impostos que pagam. (Mesmo assim, ainda sonegam). Mais: os impostos permitem que os capitalistas recuperem uma parte dos salários que pagaram aos operários, pois o dinheiro recolhido dos trabalhadores, em vez de ir para a saúde, educação e programas sociais, é utilizado pelo governo dos capitalistas em benefício deles próprios, como mostram o financiamento das privatizações; os subsídios à Ford; os chamados incentivos fiscais; os pagamentos dos juros das dívidas interna e externa; os empréstimos do governo a usineiros e latifundiários, nunca pagos; o Proer etc.

Mas não é só isso. A inflação, ou seja, o aumento dos preços dos artigos de amplo consumo contribui, e muito, para encarecer a vida e, em conseqüência, rebaixar o salário real. Vejamos o caso dos remédios, que nos últimos dois anos tiveram aumentos de mais de 200%; também do aluguel que, devido à especulação, cresceram enormemente nas últimas décadas, tornando proibitivo para uma família de trabalhador alugar uma casa para morar. Isso explica por que milhões de trabalhadores são obrigados a viver embaixo dos viadutos ou nas calçadas.

Assim, quando ocorre a inflação, o operário compra cada vez menos mercadorias e não consegue restabelecer o valor de sua força de trabalho. Seu salário real diminui, o que é vantagem para os capitalistas, pois a queda do salário real implica uma diminuição dos custos de produção e o aumento dos seus lucros. Quer dizer, são os capitalistas que lucram com a inflação.(Fonte:A Verdade)

sábado, 29 de setembro de 2012

Natação...Seus Benefícios

A natação é um dos desportos mais completos e acessível a todo o gênero de pessoas, bebês, grávidas e idosos podem tirar vantagem desta modadlidade aeróbica, de reduzido impacto para os ossos.
Normalmente, existem programas de trabalho dirigido a diferentes faixas etárias, condições dos canditatos e grau de habilidade.
Pode ser encarada como um desporto de competição, um expediente associado a algum tipo de terapia ou apenas como uma forma de aplacar as tensões diárias. 
É ótima para vencer o sedentarismo. a água "matéria prima" da natação, detém características relaxantes e fautoriza as funções orgânicas, sendo desprovida de efeitos agressivos.
Assim, qualquer que seja as circunstâncias, idade, sexo ou profissão, salvo em situações de desaconselhamento médico, toda a gente pode praticar natação, com grandes benefícios  para a saúde entendida como um total bem estar.
A natação diminui o risco de incidência de doença cardiovascular.
De fato, as braçadas vão tornando o coração mais forte, favorecendo a formação de músculo, ao mesmo tempo que eliminam a gordura em torno do orgão vital, de modo que este adquire a capacidade de bombear mais sangue para todo o corpo.
Paralelamente, esta atividade física reduz a frequência cardíaca e estimula a circulação sanguínea.
A natação também fortalece os músculos da parede toráxica, o que permite a elasticidade dos pulmões e lhe aporta maior quantidade de oxigênio.
Isto faz com que se experimente uma melhoria no processo respiratório.
As articulações são, igualment, beneficiadas.
Aumentando de tamanho, os músculos resguardam com eficácia superior tendões e ligamentos.
A natação leva ainda ao exercício de todads as articulações, potencia a sua agilidade e promove a lubrificação destas, contribuindo para o alívio das dores resultantes das artroses.
Patologias como a fibromialgia(é uma síndrome dolorosa não inflamatória, caracterizada por dores musculares difusas, fadiga, cansaço e dor em pontos dolorosos específicos...) têm na natação uma calma dos sintomas dolorosos, à semelhança de outras que impliquem padecimentos relacionados com a dor.
Outro dos proveitos da natação diz respeito ao aumento da auto estima.
Os indivíduos que praticam desporto sentem-se mais seguros e são, em geral, mais independentes.
Para além disso, a água propicía uma liberdade de movimentos não equiparável a outras atividade "secas".
O lúdico constitui um importante coadjutor do relaxamento mental.
Outros dos aspectos da natação que interessa bastante é o retardamento das consequências do envelhecimento, que em termos físicos, quer psicológicos.
Diversas pesquisas certificam que uma  pessoa que faz exercício com regularidade tem maior aptidão física do que outra vinte anos mais nova que não pratique qualquer desporto.(Fonte:PDF)

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Animais...O Fluxo Gênico

Você alguma vez já se perguntou porque só há um "tipo" de leão, porém muitos "tipos" de gatos, se tanto leões como gatos pertencem ao mesmo gênero Felis?
Ou ainda por que existe um só "tipo" de coiotes e dezenas de "tipos" de cães, se ambos são do mesmo gênero Canis
Cães e gatos são espécies domesticadas, enquanto leões e coiotes vivem livres na natureza.
As espécies na condição selvagem, na natureza, são notavelmente uniformes, enquanto aquelas domesticadas e criadas pelo ser humano mostram imensa diversificação de formas, cores, tamanhos,aptidões, resistência, agilidade, força, capacidade reprodutiva etc. Porque existe essa diferença? A resposta está no tipo de seleção distinta que elas sofrem. Em qualquer população de uma espécie selvagem, os fatores ambientais de seleção natural permanecem os mesmos por longos períodos, agindo uniformente sobre toda a população.
Asim são preservados e mantidos como um tipo padrão, ao longo de muitas gerações, os indivíduos bem adaptados àquele ambiente específico. No caso dos animais domescáveis pelo contrário , o homem seleciona os indivíduos têm mutações ou combinações gênicas favoráveis, do ponto de vista humano, e por meio da consangüinidade obtém linhagens com maior pureza dessas características.
Pela programação dos cruzamentos, escolhendo-se os reprodutores que tenham as características desejadas, é feita portanto uma seleção artificial.
Dessa forma, o homem tem conseguido um grande número de novas raças de cães, gatos, cavalos, pombos etc. O melhor exemplo é o cão, animal associado à espécie humana há milhares de anos, portanto o mais diversificado, já que o mais submetido à seleção artificial. Cada uma das muitas raças de cães é adaptada a determinada função, como pastoreio, guarda,guia, tração e caça. Cães tão diversificados como os que voce vê na imagem acima não são de espécies diferentes, são apenas raças diferentes da mesma espécie, canis familiaris.
A definição da espécie, trata-se de um grupo de organismos que podem se cruzar, ou seja, trocar genes, e ter descendentes férteis. Nesse caso porém, há uma dificuldade. É impossível haver cruzamento entre um cão fila e um pequinês, por probelmas anatômicos, de tamanho e de desenvolvimento embrionário.
Da mesma forma, o cruzamento entre galgo e pinscher não ocorre. Apesar disso fila, pequinês, galgo e pinscher são da mesma espécie. Estaríamos contrariando, aqui, o conceito de espécie? A resposta é simples.
Embora os cruzamentos que citamos não sejam possíveis, muitos outros cruzamentos entre raças diferentes podem ocorrer, produzindo descendência fértil, que chamamos popularmente de vira-latas. Esses híbridos, por sua vez, podem se cruzar com cães de outras raças, com os quais seus ancestrais não podiam se cruzar diretamente.
Dessa forma, acontece um fluxo gênico entre as diferentes raças, mesmo que de modo indireto, já que os híbridos fazem papel de "intermediários" ou "pontes" nessas trocas. Um gene existente num cão fila pode, dessa maneira, ser transmitido a um pequinês.
Apesar de não se cruzarem diretamente, ocorre o fluxo de genes entre eles, são então da mesma espécie. Se várias populações de algumas das atuais raças de cães fossem colocadas num continente isolado e se cruzassem livremente por milhares de anos, sem a interferência do homem, provavelmente se tornariam uma população única, uniforme e padronizada, bem adaptada às condições daquele ambiente, como ocorre com os animais selvagens, como o coiote e o leão.  

domingo, 23 de setembro de 2012

Uma Questão de Base...Família

No Brasil, a ausência dos pais na formação dos filhos é algo recorrente, pois existem muitos educadores inseridos no meio familiar que não são pais biológicos das crianças que estão sob sua responsabilidade, e que observam sempre a formação da criança quanto aos valores, conduta e a evolução do aprendizado, buscando a preservação do clima relacional.

Atualmente, muitos pais se fazem presente por meio de telefonemas no meio da tarde, de bilhetes deixados em lugares estratégicos e de tarefas colaborativas para a dinâmica familiar, porque amor e atenção também são importantes.


O desafio dos pais está na qualidade dessa convivência deixando claro aos filhos limites, valores, evitando que os jovens procurem outros exemplos fora da estrutura familiar, que muitas vezes cheios de carências, poderá apresentar comportamentos negativos como os vícios e o individualismo, a acomodação e no aspecto socioeconômico, a falta das necessidades básica para sobreviver.


Um bom aliado dos pais é a formação escolar, que antes desempenhava uma ação educadora profissional, hoje, é formadora também da consciência cidadã dos jovens e crianças.


A escola é considerada a extensão da família e, trabalhando juntas, as duas instituições desempenham o papel de educadores. É nos dois contextos que se desenvolve a sociabilidade, a afetividade e o bem estar físico dos alunos.
A omissão familiar faz parte da realidade, cujos reflexos estão mais acentuados nas atitudes dos adolescentes, que, sem adequada base familiar, engravidam cedo, sem formação escolar concluída, carregam consigo medos e incertezas, sem oportunidades para o mercado de trabalho, constituem família sem alicerces sólidos.

A família deve ser a principal responsável pela formação do cidadão, servindo de apoio no processo de adaptação e educação, para viver em sociedade.
Uma boa educação no seio familiar, uma boa convivência com os pais, garante uma base sólida e segura para enfrentar as adversidades, bem como adquirir o amadurecimento social.


No entanto, desde o início do processo de industrialização, a sociedade passa por transformações que resultam mudanças na estrutura familiar. Com o ingresso da mulher no mercado de trabalho diminuiu o tempo disponível para o convívio da mãe para com filho, que antigamente, dedicava exclusivamente à formação dos filhos. Essa ausência familiar gera graves conseqüências na formação, dentre elas, o individualismo, o egocentrismo, as vaidades, a acomodação, às diversões eletrônicas, dentre outras, que fragiliza a estrutura familiar.

Conclusão >
Para o bem comum, a estrutura familiar tem que ser algo que as próximas gerações vão revolucionar ou retroceder em alguns aspectos, observando as tendências da constituição da família.(Fonte PDF)

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Receitas Caseiras Para Dormir Melhor...

Você sofre de insônia?

A insônia pode ocorrer em 3 fases distintas do sono. A insônia, que ocorre no começo da noite, sugere um quadro de ansiedade. Em geral, são pessoas que se deitam pensando nos problemas e têm dificuldade para relaxar. Há insônias que se manifestam no meio da noite. Nesse caso a pessoa acorda várias vezes, embora não saiba o motivo. Finalmente, há as pessoas que dormem logo, acordam pouco durante a noite, mas acordam cansadas e antes do horário normal. São aqueles que despertam pela madrugada e ficam rolando na cama até o sol raiar. Uma das causas mais comuns desse tipo de insônia é a depressão.

Quantas horas de sono você necessita?
Existem variações de acordo com a idade e a natureza de cada pessoa, mas de uma maneira geral, podemos nos basear na tabela abaixo:
Recém-nascido 
= aproximadamente 16 horas de sono
De 1 a 3 anos
= 12 a 15 horas de sono
De 3 a 7 anos
= 10 a 11 horas de sono
De 7 a 12 anos
= 9 a 10 horas de sono
Adolescentes 
= 8 a 9 horas de sono
Adultos 
= 7 a 8 horas de sono
Idosos 
= 5 a 7 horas de sono

O que dificulta o sono?

Já tratamos deste tema em outros artigos, mas resumidamente existem várias patologias ou situações que dificultam o sono, por exemplo, a apnéia, a temperatura ambiente, o uso de bebidas alcoólicas e alimentos estimulantes ou com cafeína (café, chocolate, chá-mate ou preto, refrigerantes à base de cola e de guaraná, ginseng), tabagismo, pesadelos, terror noturno (que ocorre em crianças) e ruídos no ambiente.

Receitas caseiras para "pegar no sono"

Existem várias dicas para ajudar a pegar no sono. Aí vão algumas:
Banho morno antes de deitar,Tomar um copo de leite quente antes de dormir (o leite contém triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, um neurotransmissor associado ao sono),Colocar gotas de lavanda no travesseiro, melhora o sono (os princípios ativos, linalol e o acetato de linalina, penetram no organismo pela respiração, atingem o sistema límbico no cérebro e a corrente sangüínea, relaxando a pessoa e facilitando o sono),
Tomar um chá antes de dormir (como o de melissa, passiflora, valeriana, camomila e tília).
Medicamentos naturais, utilizando ervas medicinais, como a melissa, passiflora, valeriana, camomila e tília também podem ser usadas. Mas não se deve esquecer que seu médico deve ser informado de seu uso, para que não exista uma superposição de medicamentos no receituário médico. Embora sejam vendidos sem receita e não levem a dependência, são igualmente medicamentos e não devem ser usados indiscriminadamente e muito menos em crianças, sem que o pediatra tenha conhecimento.


Orientações para melhorar o sono de seu filho:

    • Uma criança, a partir dos 6-7 meses deve começar a dormir sozinha, sem choro e o sono deve ter uma duração de aproximadamente 11 a12 horas seguidas, sem interrupções.
    • Utilizar um bicho de pelúcia como "amigo acompanhante" (objeto transicional).
    • Dormir em seu próprio berço,
    • Deixar uma luz acesa, para que a criança se localize e não se encontre perdida no meio da noite. Isto é recomendado principalmente para as crianças que sofrem de terror noturno.(Fonte:Comego)

Síndrome do Pânico...


Síndrome do pânico, é uma doença que é responsável por 10% das pessoas que procuram clínicas de emergência cardiológica pensando serem vítimas de ataques cardíacos.


Na verdade, sem qualquer aviso prévio ou estímulo externo, estas pessoas são acometidas de um mal-estar terrível, sentem falta de ar, taquicardia, tremores e tem a nítida impressão de que estão morrendo com um grave problema de coração.

Causada por uma descarga de noradrenalina pelo cérebro, a síndrome do pânico é considerada uma patologia meramente bioquímica.

Sendo assim, tratamentos psicoterápicos são ineficazes.

A única forma de tratar a doença com esta patologia é usando antidepressívos.

Quando foi descrita? A síndrome do pânico foi relatada pela primeira vez em 1870 e já em 1900 Freud já descrevia, mas foi apenas um século depois da primeira citação e foi delimitada em 1980.

De uma maneira geral, as pessoas que sofrem da síndrome são absolutamente normais sob outros aspectos do ponto de vista psiquiátrico e habitualmente bem sucedidas nas suas atividades.

Não existem motivos externos para que a doença se manifeste.

O que existe é uma pré-disposição genética > 40% dos filhos de um  dos pais portadores de pânico também têm pânico.

E 80% dos filhos de um casal com pânico vão ter a patologia. Sintomas > A crise vem acompanhada de sintomas físicos e psíquicos.

Estes são a sensação de morte, de perda de controle e de sentir "doido". 

Trata-se de uma experiência terrível, como descrevem os própios pacientes.

Já os íntomas físicos são as palpitações, taquicardia, falta de ar, tremores, transpirações, e às vezes, necessidade de ir ao banheiro.

Não existe uma periodicidade definida para síndrome do pânico. O tratamento é à base de antidepressívo durante um período aproximado de dois anos.

E tem cura. Num período de quatro a oito semanas de uso dos antidepressívos, as crises desaparecem.

Esta é aprimeira etapa. Depois disso é preciso conservar o medicamento por mais dois anos, e numa terceira etapa, o remédio é retirado gradualmente, habitualmente o tratamento dura dois anos.

Riscos e desespero > Por parecer um mal sem cura, causado principalmente por sinto,mas no coração e desinformação dos médicos e psiquiátras, síndrome do pânico leva freqüentemente ao suicídio ou ao alcoolismo.

Alguns pacientes descobrem que quantidades moderadas de álcool atenuam as crises, e realmente atenuam.

O álcool é um antidepressívo, só que um mau antidepressívo, porque gera conseqüências.

Muitos que recorrem a ele tornam-se alcoólatras.

Grupo de risco > As mulheres são as mais vulneráveis a doença, cerca de 75% dos casos, ainda sem causa definida. a faixa etária mais freqüente é dos 20 aos 35 anos.
As crianças não manifestam a patologia.

É importante conceituar o que é pânico, diferenciado de medo e fobia.

O pânico é um  medo infundado que da repentinamente nas pessoas que se manifesta através de sintomas psíquicos e físicos.
De maneira geral, a fobia significa medo de uma situação específica.(Fonte:PDF)

> Dicionário médico > Síndrome= Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.  

sábado, 15 de setembro de 2012

Água da Chuva...Captação, Aproveitamento

Os problemas de escassez de água e poluição dos mananciais, aliados a má
utilização da água potável que chega até nossas residências, sugerem a procura de
alternativas para a solução desses problemas.


A captação da água da chuva para fins não-potáveis como lavagem de roupas, calçadas,
irrigação e descargas, é uma das possibilidades para amenizar os danos aos mananciais.


Nessa ótica, o presente trabalho objetiva demonstrar o potencial de aproveitamento de
água de chuva para uso residencial .


Tal aproveitamento, evita o uso inadequado da água potável e alerta sobre a possibilidade
da redução de custos nas companhias de abastecimento, garantindo o suprimento
e distribuição de água potável mais barata às residências.


Para esse objetivo, foi calculada a diferença entre as médias anuais das precipitações e das evapotranspirações, encontrando assim o potencial de água de chuva para captação.


O uso de água de chuva contribui para a redução no consumo de água tratada (potável)
para fins não potáveis, otimizando o uso múltiplo de água e contribuindo para a
conservação deste recurso natural.


Numa visão externa, a denominação planeta água é pertinente, pois, 70 porcento da superfície da terra é composta desse elemento, sendo 97,5 por cento salgada,
o que torna muito onerosa a dessanilização para adequá-la ao consumo humano.


Dos 2,5 por cento restantes, 69 por cento concentram-se em geleiras e neves eternas,
30 por cento água subterrânea, 0,7 por cento umidade do solo, ar e solos congelados,
e somente 0,3 por cento estão disponíveis em rios e lagos para consumo humano.


Esses fatos, aliados aos rumos do mundo globalizado, onde a tecnologia se faz presente
nos aspectos mais simples do cotidiano, proporcionando conforto e bem-estar, transforma
a sociedade em essencialmente consumista, ávida por todo tipo de novidade tecnológica.


A resposta dos setores produtivos é a utilização cada vez maior dos recursos naturais de modo desequilibrado, comprometendo o meio ambiente.

Se não bastasse esta cultura consumista, temos o crescimento populacional,que a cada ano aumenta de forma desordenada, resultando no aumento da utilização dos recursos
naturais sem qualquer controle, onde a água é sem dúvida o elemento mais degradado.


Não se consegue imaginar vida sem água, pois utilizamos para beber, para a saúde,
produzir e preparar alimentos entre outros fins tão essenciais para nossa sobrevivência.


A civilização ainda não se conscientizou que dependem extremamente da água e tem
que conservá-la, pois, trata-se de um recurso limitado e vulnerável.


Levando em conta a quantidade de água para consumo humano existente no planeta, nossa cultura consumista e o alto crescimento populacional, poderemos alcançar
um quadro não muito satisfatório, a escassez da água.


Atualmente, em onze países da África e nove do Oriente Médio a escassez é uma realidade, situação não muito diferente se encontra no México, Hungria, Índia,China,
Tailândia e Estados Unidos onde os níveis de água estão abaixo do necessário.(Fonte:PDF)

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Jornalismo, Cultura...Sensacionalismo

Através das idéias de cultura popular, do que é relevante na notícia, e da forma  como ela é exposta na mídia, podemos obter o significado dos conceitos popular e sensacionalismo, que se confundem dentro do jornalismo.

A base principal para um jornalismo é a notícia relevante ao público. Contudo, para cativar o leitor e conquistar o consumidor, os jornais cada vez mais se transformam  em mercadorias, em todos os lugares, segmentos e especificidades.

A palavra sensacionalismo é geralmente utilizada para certo tipo de postura editorial adotada, regular ou esporadicamente, por determinados meios de comunicação, que se caracteriza pelo exagero, pelo apelo emotivo e pelo uso de imagens fortes na cobertura de um fato jornalístico.

Trata-se de um exagero de fato exibido, com muitas cenas emotivas e de certa forma generalizando o tema abordado.

É uma prática muito usada para ganhar audiência, pois o sensacionalismo normalmente choca, mas atrai os espectadores.

É uma prática que faz parte de um processo histórico-cultural, sendo influenciado por matrizes como a pornografia, o melodrama, o folhetim, o gótico, a literatura do horror, a literatura fantástica e o romance policial.

 A mídia sensacionalista divulga a violência, transformando em bandidos o erro de alguns em troca de audiência. 

No entanto o sensacionalismo pode ser entendido como uma produção noticiosa que vai além do real, e superdimensionando o fato e, por isso, muitas vezes, tem a credibilidade discutível.

O termo popular vem do povo, o u seja, tudo que está ligado a uma pessoa ou algo conhecido, ou tudo que é feito para todos.

Cultura popular ou cultura pop é a cultura vernacular, isto é, do povo que existe em uma determinada sociedade.

O conteúdo da cultura popular é formado pelo elemento folclórico. Inclusivamente, no mundo pré, industrial, a cultura da massa como hoje é estendida não existia, existindo, no entanto, uma cultura coletiva, hoje chamada popular.

Esta camada de cultura ainda persiste na nossa sociedade, seja, por exemplo, em forma de anedótas ou de calão, seja em brincadeiras ou práticas variadas.

Assim, o sensacionalismo refere-se ao escândalo, ao espetacular, a pessoa que visa causar sensação na literatura e/ou na manifestação prática.

O termo cultura popular está longe de ser um conceito bem definido pelas Ciências Humanas ou pela Antropologia Social.

Um grande número de autores identifica cultura popular como um conjunto de objetos, práticas e concepções religiosas ou estéticas consideradas tradicionais.

Ou seja, o folclore.

Por outro lado, pesquisadores mais sofisticados concebem essas manifestações culturais tradicionais como resíduo da cultura culta, de outras épocas(às vezes de outros lugares), filtrada ao longo do tempo pelas sucessivas camadas da estratificação social.(Fonte-CA Berthier-PDF)



Curiosidade

Os jornais populares mostram a face de um jornalismo do cotidiano, pois o formato dos jornais populares favorece a leitura, esteja o leitor sentado no banco da praça ou em pé, no ponto de ônibus. Já os jornais tradicionais, com quase o dobro do tamanho, não permitem essa versatilidade.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Viagem no Tempo...é Possível?



A quarta dimensão:

Primeiro você precisa aceitar que o tempo é uma dimensão, assim como o comprimento, a profundidade e a altura. O exemplo usado por Hawking é um percurso de carro. Se você vai para frente você se move em uma dimensão. Se você vira para a esquerda ou direita, você se move em outra. A terceira é se você sobe ou desce algum relevo. E a quarta é o tempo que você leva para fazer isso.

Nos filmes normalmente vemos uma enorme máquina que cria uma brecha na quarta dimensão e nos permite viajar para o futuro ou para o passado. Embora a questão da máquina seja ficcional, o conceito pode ser até “praticável”.

As leis da física permitem a noção de viagens no tempo, através do que conhecemos como “buracos de minhoca”. Para Hawking, os buracos de minhoca estão ao nosso redor, só que eles são muito pequenos para serem vistos. Segundo ele nada que conhecemos é liso e completamente sólido – tudo tem pequenos buracos e rugas e isso quer dizer que o tempo, como a quarta dimensão, também teria imperfeições que poderiam ser aproveitadas para viagens no tempo. Isso se conseguíssemos encontrá-las.

Vapor quântico e pequenos buracos de minhoca:

Em escalas minúsculas – menores ainda do que a escala atômica – a matéria “vira” o que é chamado pelos físicos de vapor quântico. É lá que os buracos de minhoca de que falamos antes existem. Pequenos túneis que se abrem e se fecham de forma aleatória que podem levar a dois lugares diferentes no tempo.

Apesar de ser uma estrutura minúscula, Hawking acredita que seja possível pegar um buraco de minhoca e esticá-lo, deixando-o grande o suficiente para que uma pessoa passe por ele. Teoricamente eles poderiam nos levar para outros lugares no tempo. No entanto, como há paradoxos estranhos, envolvendo viagens ao passado (por exemplo, se você viaja ao passado e impede que seus pais se conheçam, como você nasceria para impedi-los de se conhecerem em algum lugar no futuro?), cientistas acham que apenas a viagem ao futuro seria possível.

O tempo como um rio corrente:

Hawking acha que, talvez, a radiação pudesse inutilizar buracos de minhoca que cientistas esticassem para que as pessoas viajassem no tempo. No entanto, ele tem outra solução: navegar o rio das variáveis do tempo.

Para ele, o tempo flui como um rio e nós somos carregados pela corrente. Mas, como um rio, há lugares em que a correnteza é mais rápida ou mais lenta – e essa seria a chave para viagens ao futuro.

Albert Einstein propôs essa idéia cem anos atrás e, segundo Hawking, ele estava absolutamente certo. A prova pode ser encontrada em satélites que possuem relógios internos. Quando saem da Terra eles estão certos, mas os cientistas percebem que eles ficam adiantados no espaço porque o tempo fora do planeta seria mais rápido.


Einstein acredita que a matéria faz com que o tempo se arraste, por isso, no planeta, o tempo correria mais lentamente.(Fonte-MSNBC)

O físico britânico Stephen Hawking, em um artigo, mostrou não apenas uma, mas três formas de viajar no tempo que ele considera possíveis.

> Se voce tivesse a oportunidade de viajar no tempo, qual seria sua opção, Passado ou Futuro?
 - Levando em conta, que a volta seria impossível.....

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O Golpe Militar...de 1964

O Golpe Militar de 1964 designa o conjunto dos eventos de 31 de março de 1964, ocorridos no
Brasil, e que culminaram em um golpe de estado (atualmente, alguns historiadores afirmam ter sido
um golpe civil-militar) que interrompeu o governo do presidente João Belchior Marques Goulart,
também conhecido como Jango, que havia sido democraticamente eleito vice-presidente, pelo PTB
(Partido Trabalhista Brasileiro) – nas mesmas eleições que conduziram Jânio da Silva Quadros à
presidência pela UDN (União Democrática Nacional) – Jânio renunciou o mandato no mesmo ano
de sua posse (1961), João Goulart, que deveria assumir a presidência, segundo a Constituição
vigente à época, promulgada em 1946, estava em viagem diplomática na República Popular da
China. Militantes de direita acusaram Jango, como era conhecido, de ser comunista e o impediram
de assumir à presidência no regime presidencialista.


É feito um acordo político e o Parlamento brasileiro cria o regime parlamentarista, sendo João Goulart chefe de Estado.

Em 1963 em plebiscito o povo brasileiro votou pela volta do regime presidencialista, e João Goulart finalmente assume a presidência da república com amplos poderes.
O Golpe de 1964 submeteu o Brasil a uma ditadura militar que durou até 1985, quando, indiretamente, foi eleito o primeiro presidente civil desde o golpe de 1964, Tancredo Neves.

Alguns, entretanto, consideram-no um movimento político de duplo escopo, surgido do temor do
expansionismo comunista (Chamado perigo vermelho) e do desejo de desenvolvimento nacional,
que administrou o país através de uma ditadura e que, por um lado, teria impedido a implantação de
um regime totalitário de esquerda e, por outro, seria responsável pelo Brasil ter se tornado uma das
maiores economias do mundo, embora, aos custos da contração de uma grande dívida externa.

Os patrocinadores do movimento que resultou na implantação da ditadura militar a partir de 1964
no Brasil afirmavam que o processo seria uma revolução.

Tal visão é derivada do fato de que existiam alguns indícios de uma conspiração para transformar o Brasil numa ditadura socialista - similar a Cuba.

 Portanto, alguns segmentos ainda adotam a denominação de revolução, ou contragolpe,
em referência ao movimento que resultou na tomada de poder em 1964.


Parte desta mesma visão a referência ao Golpe Militar de 1964 como Revolução Redentora que
teria sido um movimento político desenvolvimentista patrocinado pela classe média e pelo alto
oficialato das forças armadas brasileiras.


O ideal revolucionário, segundo alguns, precederia o Golpe Militar de 1964 e através deste teria se
tornado uma ação concreta.

Seria essencialmente um projeto econômico-social derivado da campanha brasileira na Segunda Guerra Mundial.
Afirmam ainda que a chamada "Revolução"seria a responsável por elevar o Brasil à condição de grande economia, promovendo o chamado Milagre Brasileiro.(Fonte:PDF)
 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Possíveis Origens dos Indígenas nas Américas...

Quando e de onde vieram os primeiros habitantes do continente americano?
A resposta não é tão simples.
Cientistas e pesquisadores arqueológicos estão até hoje buscando uma resposta convincente e comprovada.
Inúmeras pesquisas já foram realizadas, mas os estudiosos não chegaram a um acordo.
O único ponto em que não há discordância é de que o homem americano não é originário
das Américas.
E, nesse sentido, existem algumas teorias.
A mais aceita entre os estudiosos é a que propõe que a América teria sido povoada por três ondas migratórias, todas vindas da Ásia, entre 10 a 15 mil anos atrás, que seriam:
1. Na primeira migração, povos do nordeste asiático(norte da China, Coréia, Japão) atravessaram o estreito de Bering numa época de congela-mento da região (glaciação) que uniu a Sibéria (Ásia) ao Alasca.
Essa migração teria dado origem a todas as tribos indígenas da América do Sul, Central e
grande parte daquelas da América do Norte.
2. A segunda migração deu origem às tribos nômades da região noroeste da América do Norte.
3. A terceira migração teria originado os povos esquimós que habitam a região ártica do Pólo Norte.
Já outras teorias levantam a hipótese de que mais duas correntes migratórias teriam povoado as Américas: uma, de antigos navegadores provenientes dos arquipélagos da
Melanésia e Polinésia, no Oceano Pacífico, chegando até a América do Sul; a outra, que pode ter vindo da Austrália e ter atingido a América na região da Antártida
Pesquisas mais recentes levantaram outra possibilidade: de que um grupo teria se deslocado da África para a Ásia e daí para a América, por volta de 15 mil anos atrás, tendo assim características negróides.
Quanto à época, não há nenhuma concordância.
A idade dos fósseis humanos mais antigos encontrados na América varia entre 12 a 15 mil
anos atrás.
No entanto, a arqueóloga brasileira Niéde Guidon afirma ter datado restos de fogueiras
humanas com mais de 35 mil anos no estado do Piauí.
Mas grande parte da comunidade científica e arqueológica norteamericana não aceita essa
hipótese por não haver comprovação de fósseis humanos.
Você pode estar se perguntando: mas afinal de contas, entre tantas teorias, qual é a mais verdadeira?
As pesquisas científicas arqueológicas procuram confirmar suas teorias, e as que relatamos acima são as mais aceitas, porém ainda estão sendo comprovadas.
No entanto, uma coisa é certa:somente essas diferentes migrações e povos podem explicar
a enorme diversidade de culturas indígenas que dominavam o continente americano, dos
Esquimós aos Maias, até os grupos do Brasil.
Enquanto uns povos eram nômades e viviam somente da caça e da coleta, outros já praticavam agricultura avançada e faziam grandes construções, como os Maias, Olmecas,
Astecas e Incas.
A cada dia, contudo, novas pesquisas nos trazem mais achados e perguntas.
E isso é o marco da ciência: uma teoria pode ser substituída por outra mais fundamentada.
Nada é para sempre.(Fonte:PDF)

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Sociedade e Cultura Chinesa...No Passado

Sociedade e cultura
A família chinesa era organizada da seguinte forma: o pai mandava dentro
de casa e a mulher e os filhos tinham de obedecê-lo caso contrário, ele podia até
vendê-los como escravos.
Assim como os pais de família, o imperador era considerado o “pai” de todos
os chineses.
Você pode perceber que não era muito fácil ser mulher ou filho na China
imperial!
O imperador governava com a ajuda de um grupo de ajudantes chamados
mandarins. Eles podiam governar como se fossem o próprio imperador e eram
considerados nobres, pois pertenciam a famílias muito antigas.
Havia também o grupo dos chamado letrados, pessoas que dominavam a
leitura e a escrita - coisa que muito pouca gente sabia fazer naquela época.
A maioria das pessoas morava no campo e quem cultivava a terra eram os
lavradores. Os artesãos faziam móveis, cerâmicas e muitas outras coisas. Moravam
nas cidades e, juntamente com os comerciantes, que compravam e vendiam
mercadorias, formavam a plebe.
Todas essas ocupações eram hereditárias, ou seja, passavam de pai para
filho. Assim, se o pai fosse agricultor, o filho também seria agricultor.
Esse era o chamado regime (ou sociedade) de castas. Nele, a condição de
nascimento determinava o que o indivíduo seria pelo resto de sua vida. É por isso
que podemos dizer que a sociedade chinesa era uma sociedade estática, que
quase não sofria mudanças.

A religião
Os chineses eram muito religiosos, mas não tinham “uma” religião: eles
acreditavam num conjunto de regras, ou seja, num código de comportamento,
que todos respeitavam.
Uma dessas regras, o respeito aos antepassados, foi formulada por Confúcio,
que viveu entre 551 e 479 a.C. Ele acreditava que o homem podia ser perfeito se
fosse correto com as demais pessoas.
Os chineses também acreditavam na filosofia de Lao-tsé, o taoísmo, que
cultuava o respeito à natureza e a tranqüilidade do espírito.

As ciências e as artes
As ciências que os chineses criaram foram as mais avançadas da Antiguidade.
Muitas práticas são empregadas até hoje: a acupuntura e a utilização de ervas
medicinais, por exemplo. Eles inventaram a imprensa para
publicar livros, o papel e a tinta; descobriram a pólvora (usada
em fogos de artifício) e inventaram a bússola. Aliás, a astronomia
chinesa era muito desenvolvida para a época: eles sabiam
o que provocava os eclipses do Sol e da Lua; além disso,
dividiram o ano em doze meses iguais, e o dia em doze horas.
Nas artes, os chineses ergueram grandes palácios para os
imperadores. Sua engenharia e sua arquitetura construíram,
além da Grande Muralha, o Canal Imperial, com mais de 1.500
quilômetros de comprimento, que liga os rios Azul, Amarelo e
Branco, cortando desertos e montanhas.
Além disso, os chineses se especializaram na fabricação de tecidos de seda
e da porcelana, produtos tão perfeitos que nenhum outro país os podia igualar.(Fonte:PDF)


terça-feira, 28 de agosto de 2012

Educação no Brasil...Metas, Ainda Distantes


As metas do Plano Nacional da Educação (PNE) vão chegar a 2022 com um novo quadro na educação brasileira: mais valorização profissional e mais acesso à educação em todos os níveis (infantil, médio e superior), além da erradicação do analfabetismo entre crianças e adolescentes até 15 anos. Hoje esse índice é de cerca de 18%. Tais pretensões necessitam, portanto, ser confrontadas com a atual situação da educação pública.

No Estado de Pernambuco, por exemplo, com o propalado crescimento da economia, a chegada de novos polos, como o petroquímico e o automobilístico, os governos (municipais, estadual e federal) limitam seus investimentos em educação à educação técnica ou profissionalizante. O resultado é que, no lugar de formar jovens que tenham a capacidade de relacionar-se com o seu meio de forma crítica e não apenas receptiva, preocupados com sua capacidade intelectual, formam-se os tão conhecidos “apertadores de parafuso”, que conseguem desenvolver determinada função operacional, mas não conseguem interpretar um texto. Segundo Uacir Matias, diretor técnico do Senai, a principal dificuldade na formação técnica ou profissionalizante é que os alunos entram para esse tipo de formação sem noções básicas de português e matemática de ensino fundamental.

Tais condições precárias na educação são reafirmadas por pesquisa do Indicador do Alfabetismo Funcional (Inaf) 2011-2012, que aponta que cerca de 35% das pessoas com ensino médio completo podem ser consideradas plenamente alfabetizadas e 38% dos brasileiros com formação superior têm nível insuficiente em leitura e escrita. Do total, são 27% de analfabetos funcionais e apenas 26% da população que pode ser considerada plenamente alfabetizada, mesmo índice apontado pela pesquisa em 2001.

Mesmo que sejam aplicados 10% do PIB na educação, a possibilidade de transformação dessa situação não é para já. Para Nelson Cardoso Amaral, doutor em educação da Universidade Federal de Goiás, é preciso considerar que a maioria dos países com mais problemas na área possui mais de um terço de sua população em idade educacional. Nos cálculos do professor, em 2010 o Brasil tinha 45% de seus habitantes – 84,4 milhões de pessoas – dentro da faixa etária que deveria estudar. Com um investimento próximo aos 10% do PIB na educação, as metas educacionais propostas seriam alcançadas só em 2040!

Assim, ainda que pesem as reformas educacionais, há que se considerar que, enquanto continuarem existindo as disparidades entre direito do acesso à educação e dever do Estado de assegurar esta a todos, continuará a crescer a distância entre metas e possibilidades de realização da superação histórica dos problemas educacionais no Brasil.(Fonte: A verdade)